© Station BC 2018

  • Instagram - White Circle
  • Facebook - White Circle

Rua Tailândia, 72 - Sala 14 - Nações, BC

47 3311.6977

  • Theo Stoo

Day 3 - Fashion Days - Samuel Schmidt


Eai? Já ficou sabendo? Dias 23, 24 e 25 de outubro estará rolando o Fashion Days, aqui no Station. E você não pode perder!


A cada dia, profissionais da área da moda irão compartilhar suas experiências, ideias e projetos e, se você quer conhecer um pouco mais este pessoal, siga nossos posts para saber quem são e o que você pode esperar nos encontros! Só não vale ficar de fora ;)


Você já ouviu falar do projeto Cidades Invisíveis? Confere aqui o que vai rolar no terceiro e último dia do evento:


Cidades Invisíveis


Nasceu em 2012 em Florianópolis, Santa Catarina, o projeto social fotográfico Cidades Invisíveis, de Samuel Schmidt, com o objetivo de registrar imagens de milhares de pessoas que vivem privadas da liberdade básica de sobreviver: privação de alimentos, saneamento básico ou água potável, educação eficaz, emprego rentável, liberdades políticas e direitos cívicos.


O projeto pretende mostrar uma realidade que costuma ser maquiada pelo governo e pela outra parte da sociedade que está longe de vivenciar tais problemas. Além disso, o projeto é também um elogio à arte, com vários artistas voluntários que transformam as fotografias em verdadeiras obras de arte. Estas imagens e desenhos, que falam por si, ganham vida ao serem estampados em camisetas, e todo o lucro das vendas destas peças é revertido em doações para estas comunidades. Ele já passou por sete comunidades vulneráveis da Grande Florianópolis. Em quatro anos, mais de quinze mil pessoas foram beneficiadas. E mais de mil pessoas se envolveram para que as ações se tornassem realidade


Samuel Schmidt


Samuel desde criança curtia qualquer manifestação artística. Ele lembra que acompanhava o trabalho da mãe como contadora de histórias nas escolas que ela trabalhava, lembra de sentar na frente do toca discos do pai e ouvir música e vendo os livros de fotografia e arte que ele tinha. Essa influência, de seus pais, o fez procurar a fotografia como tentativa de manter um registro diário de coisas cotidianas. A fotografia o fez aprender a enxergar, fazer recortes daquilo que via, e compor a realidade de sua vida. Em 2013 foi convidado por outro projeto social, o Shopping de Sonhos, para cobrir as ações que realizava nas comunidades carentes da Grande Florianópolis. Samuel diz que é preciso sentir o cheiro, ver os olhares, ouvir as histórias para saber o que é a privação de liberdade, no sentido amplo, de comer, de ter acesso à saúde, de brincar com segurança, de ter acesso ao trabalho rentável, à educação eficaz. Esta experiência foi o estímulo necessário para ele começar a desenvolver seus projetos.


A partir daí começou a publicar fotos que fazia nas redes sociais, na tentativa de forçar o olhar para outras realidades, para as "cidades invisíveis", aquelas que não enxergamos ou temos dificuldade para crer que existem tão perto da gente. Porém, testemunhar a pobreza não era suficiente, ele queria fazer mais. Assim, fez contato com um amigo artista de Florianópolis para pedir uma releitura de uma fotografia que ele havia feito. E assim, uma simples ideia, estampar em camisetas a arte e comercializar para arrecadar dinheiro e ajudar a família daquela criança, conseguiu comprar colchão, cestas básicas e roupas para eles. Não tinha planejamento, não havia ideia do alcance que o projeto estava tomando.

Hoje tem muitas artes estampadas e todas as suas ações buscam impacto social, desenvolvendo ações na área da saúde, cultura e meio ambiente.

Ele não pretende tornar o projeto em ONG, já registrou a marca e está empolgado com a ideia de empreendedorismo social. Acredita que os problemas sociais podem ser resolvidos por negócios sociais como o Cidades Invisíveis. "Seu negócio tem que ser autossustentável, ter planejamento e metas de uma empresa, mas com outra finalidade: a preocupação não é na maximização de lucros, e sim na transformação social. O projeto tem que ser o melhor para o mundo. Pé por pé, passo por passo, vamos construindo nossa história junto com as comunidades."


O que esperar?


Samuel viu que na moda ele podia expressar sua paixão e ajudar aqueles que mais precisavam. Neste processo de democratização da moda, ele percebeu que surge o fator da transformação social. E assim ele irá contar sobre seu projeto e como a moda sustentável com propósito funciona.


Para saber ainda mais e se inscrever no evento, basta clicar aqui.



Não fique por fora! Siga-nos nas nossas Redes Sociais: Facebook e Instagram.


Ficou com dúvidas? Nos manda um e-mail, liga ou dá uma passadinha!



13 visualizações